Igreja de Santa Luzia

Igreja de Santa Luzia

pablo G.
Description
Uma das versões sobre a origem pretende que o navegador Fernão de Magalhães, de passagem pela baía de Guanabara em dezembro de 1519, terá feito erguer uma pequena ermida no local, então à beira-mar, em que terá depositado uma imagem de Nossa Senhora dos Navegantes. Outra versão, atribuiu essa origem a uma capela, erguida por religiosos franciscanos, quando de sua chegada, em 1592. Esse templo terá sido ampliado em 1752. No contexto da transferência da corte portuguesa para o Brasil, João VI de Portugal mandou abrir a rua de Santa Luzia (1817), que alcançava o Convento da Ajuda, para poder transitar com a sua carruagem até igreja, em cumprimento do pagamento de uma promessa, formulada para que o seu neto, o infante D. Sebastião, ficasse curado de uma moléstia que tinha nos olhos. Desse modo, a igreja de Santa Luzia teve o seu acesso facilitado. Entre outras representações, encontra-se figurada em aquarela de Thomas Ender. Na década de 1920, com a demolição do morro do Castelo, formou-se uma esplanada com os materiais, formando-se os aterros que afastaram as águas do mar. Existiu primitivamente, nos fundos do templo, no sopé do morro hoje desaparecido, uma fonte de água à qual se atribuíam poderes milagrosos. Essa devoção é recordada ainda hoje por uma bica instalada na sacristia da igreja. #Igreja_de_Santa_Luzia
Category
Default Title